Trabalho, raça e

literatura em conexão 

Trabalho, raça e classe em conexão:

construindo relações entre as reflexões de História, Geografia e Português

“Subiu a construção como se fosse máquina/Ergueu no patamar quatro paredes sólidas/Tijolo com tijolo num desenho mágico”... Os versos de “Construção” nos põem a refletir, mais do que a construção das paredes – ora sólidas, ora mágicas, ora flácidas – sobre a condição de quem as ergue no patamar e das condições desiguais que as atividades trabalhistas colocam alguns trabalhadores. Tal lógica advém de diferentes eventos e processos históricos.

A partir disso, perspectivas trabalhadas nas reflexões feitas nas aulas de Geografia, História e Português se conectam para a construção de uma análise do momento que vivemos atualmente... O uso de mão de obra, que é um dos pilares do sistema capitalista, fortalecido com o advento da Revolução Industrial, foi um dos conteúdos das aulas de Geografia que fortaleceram o repertório dos estudantes para a leitura de “Germinal”, de Émile Zola, nas aulas de Português. A obra retrata o cotidiano difícil e sofrido dos trabalhadores nas minas de carvão que, em muito, se assemelhou à dinâmica de exploração do ouro no Brasil Colônia. A partir dos estudos sobre este período histórico, a reflexão sobre o negro no Brasil contemporâneo também fez parte das aulas de História e estará presente neste trabalho.

O nono ano, por ser a finalização de um ciclo, tem como ênfase a ideia de síntese, em que o estudante, consciente de diferentes competências e habilidades trabalhadas ao longo da escolarização básica, se põe a articular os diferentes conhecimentos de forma mais intencional. Este trabalho é um exemplo dessa ênfase sendo colocada e

 

 

 

 

PROFESSORA MÉRCIA E PROFESSORES MICHEL E ROGÊ

© 2020 por Carandá VIvavida 9a Imaginar-te - Conexões em (re)construção - Montagem/Design Juliana Carnasciali - Jullipop e Rosana Rocha